Blog

26 jul
2018

O papel dos avós na educação financeira das crianças

Vovó o cheirinho do seu bolo recém assado é bem melhor que um embrulho de presente! Já parou pra pensar?

Todos nós sabemos que vó é mãe com açúcar! Quem aí já escutou essa expressão? Os avós têm profundo carinho pelos netos e dizer “NÃO” passa a ser uma tarefa muito difícil para os avós, por vezes, impossível! No entanto, essa incapacidade, se acontecer de forma sucessiva, pode colocar em risco os ensinamentos que os pais transmitem aos filhos, especificamente no controle das exigências consumistas das crianças. Sem dúvida, que os avós não o fazem por mal, muito pelo contrário, mas a incapacidade de dizer NÃO é uma forma plena e pura de amor! E os avós, assim como os pais, precisam aprender que NÃO é NÃO.

Me permitam fazer uma pausa e contar um pouco sobre minhas avós. Na nossa família, por questões financeiras e também, acredito eu, pela época, os avós não nos presenteavam com frequência. Na verdade, não me lembro de nenhum presente! (pode ser que até tenham acontecido, mas confesso que se aconteceram apagou-se da minha memória). MAS… certas coisas jamais serão esquecidas. Minha avó materna morava em outra cidade. Em todas as férias eu, meu irmão e primos íamos visitá-la e por lá ficávamos longos dias. Lembro-me sempre que já na chegada ela tinha um cuidado especial em entregar uma toalha limpinha, um sabonete bem cheiroso (geralmente especial, daqueles que ela ganhava de presente) e separar uma gaveta no guarda-roupas para que eu pudesse colocar todas as minhas coisas (uma forma de dizer “sinta-se em casa”!).

Durante os dias ela se preocupava em fazer comidinhas que agradasse a cada um de nós… lembro-me do cheiro! Em especial do biscoito frito… que nós nos acabávamos de tanto comer.  Já minha avó paterna, que vive até hoje na minha cidade natal, também não dava presentes! Mas o cheiro do café e da rosca recém-saída do forno com calda por cima… sou capaz de sentir até agora!!!! As quitandas na casa da vovó eram simplesmente maravilhosas, sem contar nos doces em compota que ela fazia e as vezes em que a família toda se reunia na varanda para fazer pamonha! Sim, minhas memórias são muito vivas, com cheiros e sabores!

Elas construíram memórias na minha vida… hoje me pego fazendo comidinhas aqui em casa para minha filha, baseada no que fizeram pra mim. Esse relato, que me encheu de saudades, é só pra dizer: vovós criem experiências com seus netos. Não cedam ao momento atual onde o consumo é supervalorizado em detrimento das boas experiências que formaram laços entre gerações… só isso tornará possível que as nossas tradições familiares sejam perpetuadas! Isso é o que falta hoje às crianças e adolescentes: experiências lúdicas e com laços de amor. Chega de racionalidade. Isso está adoecendo a geração de hoje!

 

E, voltando ao nosso assunto da participação dos avós na educação financeira, preciso dizer que uma boa forma de equilibrar os objetivos e comportamentos dos vários participantes na educação financeira das crianças, é definindo regras para pais e avós respeitarem. As palavras de ordem devem ser: “coerência”, “coordenação” e “respeito” (pelos combinados).

Não só os pais devem se preocupar em não ceder aos desejos de consumo das crianças. Elas estão em formação, e até mesmo por questões fisiológicas, não são capazes de gerenciar bem a questão do planejamento de consumo e resistir a impulsividade. A parte do nosso cérebro responsável por isso “córtex pré-frontal” é a última a se desenvolver, e por isso crianças e adolescentes tem muita dificuldade a conter a impulsividade. No caso dos adolescentes ainda tem uma questão importante, que é a necessidade de ser aceito no grupo. O que pode ajudar aos pais e responsáveis no processo com os adolescentes é desde muito cedo ter claro os valores da família, seus objetivos e como estão trabalhando nos esforços para atingi-los.

Para fechar me permitam dizer aos avós: vocês são muito importantes na vida dos netos! São a possibilidade de contato com as tradições que moldam nossa forma de ver o mundo. Não se percam e se deixem levar pelo bombardeio de consumo atual na tentativa de serem aceitos. Vocês têm muito mais a dar, criem laços verdadeiros com seus netos. Memórias de momentos de olho no olho e cuidados genuínos. Isso sim não será esquecido, tenho certeza.

Aproveito aqui para dizer um muito obrigado aos meus avós que deixaram verdadeiros laços de amor, carinho, cuidado e fé em minha vida. Esses foram o combustível utilizado para transcender qualquer diferença de pensamento entre nós. E também, as avós da minha filha que se fazem presente, brincam e nos apoiam na criação. Se em algum momento ficaram chateadas por nossa postura de pais zelosos e, que querem estabelecer limites claros na criação dela, saibam: é por amor! Continuamos contando com vocês para criarem verdadeiros laços com ela.

A todas vovós e vovôs um feliz dia <3

PS1: se você gosta do tema Educação Financeira e sempre fica na dúvida de quando e como introduzir o assunto ai na sua casa, inscreva-se no evento do qual irei participar contribuindo com o tema Educação Financeira nas famílias. Será um Seminário para pais e Educadores que acontecerá em Belo Horizonte no dia 11 de agosto. Informações sobre o processo de inscrições você pode ligar para 31-  3286-3034

Vem aí o II Seminário de Formação para Pais e Educadores

Um beijo e até a próxima!

 

a autora

Karina Valadares

Mãe, esposa, profissional de finanças e empreendedora. Dedico minha vida à consultorias financeiras pessoais, assessoria de investimentos e organização de rotina.

saiba mais