23 ago
2019

Saúde financeira: você precisa de um check-up?

As pessoas estão adoecidas pelo consumo inconsciente e oferta farta de crédito. Será que você faz parte desse grupo?

Há anos atrás a medicina preventiva praticamente não existia. As pessoas viviam menos tempo. Quando se descobria uma doença grave, muitas vezes já estava em um estágio avançado, o que dificultava a cura. Foi assim com nossos antepassados. Me lembro que eu perguntava à minha mãe do que é que meu avô tinha morrido, e ela dizia que foi do estômago… Minha mente de criança viajava. Eu imaginava que ele tinha comido uma daquelas misturas que diziam fazer mal na época, tipo manga com leite (rs)!

Mas brincadeiras e viagens à parte, 40 anos após a morte de meu avô, no auge dos meus 20 anos é que fui entender que ele faleceu devido a um câncer no estômago. Na verdade, toda a família só se deu conta disso 35 anos após sua morte, quando uma de minhas tias, filha dele, foi diagnosticada com um câncer semelhante. Mas dessa vez, graças aos avanços da medicina e da precocidade da descoberta, ela foi curada e vive bem há 25 anos!

No mês passado fui fazer meu check-up anual. No meio de uma bateria de exames, estavam os meus preventivos de mama. Apesar de ser uma experiência que já vivenciei outras vezes, fazer os exames de mama este ano foi diferente! Durante todo o processo, desde o momento em que fui recepcionada para cadastro até o momento em que saí do hospital, eu observava tudo de uma maneira especial, com mais amorosidade. Em meio a um ambiente um tanto quanto desconfortável, eu sentia empatia, acolhimento e cuidado.

Foi uma situação simples que mexeu muito comigo! Decidi contar um pouquinho mais sobre esse dia pra vocês, buscando fazer um paralelo com a minha atividade profissional.

Durante o atendimento da simpática recepcionista eu vi como pequenos detalhes, que podem passar despercebidos, fazem total diferença quando me prontifico a bater um papo com alguém interessado em conhecer mais sobre o meu trabalho. Ali já nasce uma conexão, mesmo que eventualmente seja passageira.

Quando entrei em uma salinha para aguardar o exame, me despi. Vesti aquela camisola que me deixa exatamente igual a todas as outras mulheres que ali estavam. O ambiente estava climatizado de maneira bem fria, em função dos equipamentos. Naquele momento percebi como as pessoas podem se sentir ao terem a primeira conversa comigo: desprotegidas, desnudas e totalmente vulneráveis.

Quando a médica foi até a recepção interna, me chamou pelo nome, me deu um abraço e me encaminhou para a mamografia, eu me aquietei. Senti acolhimento e é bem isso que busco fazer com as pessoas que me procuram.

Durante o exame existe dor! E diferente das outras vezes, eu escolhi apenas respirar e agradecer. Agradecer a possibilidade de estar ali. Agradecer os avanços da medicina, que nos proporciona a possibilidade de nos cuidarmos preventivamente. Isso não diminuiu o desconforto ou a dor, mas expandiu minha consciência.

 

O processo de Planejamento Financeiro é como um exame preventivo. Serve para todos!

 

Doentes ou não. Nele precisamos nos despir, respirar e expandir a consciência. E a partir daí surge a oportunidade de receber um diagnóstico que nos ajude a manter nossa saúde, só que neste caso, a saúde financeira.

Ainda sobre a experiência, após finalizar a mamografia, parti para os ultrassons. Permanecia desconfortável, mas a simpatia e o bom papo da médica fizeram valer aquele momento. Ela me disse que eu estava com um nódulo, de bom aspecto, porém precisaríamos fazer mais algumas posições na mamografia. A maneira como ela me explicou e me trouxe a notícia, me transmitindo tranquilidade, fez toda a diferença naquele momento. Parti para o complemento da mamografia e repeti todo o processo de agradecimento, respiração e consciência. É isso… Às vezes chega uma notícia inesperada, mas se bem apresentada e já direcionada a um outro procedimento, afasta de vez as chances de um cenário emocional pior.

Naquela manhã de exames tive a confirmação de que estou no caminho certo. Percebi que eu realmente devo continuar nessa jornada de apoiar pessoas a cuidar de sua saúde financeira. Que acolher com amorosidade e sem julgamentos cada ser humano e sua história nos ajuda a entender melhor nosso momento de vida, nossas dores e nossas reais necessidades. Que mesmo munida de informações técnicas e de mercado, ter um olhar humano e comportamental é fundamental em cada processo. Que o Planejamento Financeiro é para todos e é a chance de garantirmos bem-estar no futuro!

Como a medicina preventiva, precisamos ir aos poucos implementando esse novo hábito, que há algumas décadas praticamente inexistia e hoje é uma realidade. Assim como o aparecimento de mais doenças graves, nós assistimos a um cenário de planejamento financeiro pessoal das famílias muito ruim. As pessoas estão verdadeiramente adoecidas pelo consumo inconsciente e oferta farta de crédito.

Então resta a conclusão de que o momento é agora! Precisamos urgente implantar esse hábito em nossas vidas. Cuidar de nossa saúde financeira. Falar de dinheiro é uma necessidade. Consumir com consciência também! Tudo isso é uma prevenção para nosso próprio futuro e das nossas próximas gerações. Pois como algumas doenças, o descontrole financeiro também pode passar de geração para geração.

E você, também tem o hábito de fazer seu check-up? Sua saúde financeira também está sendo cuidada?

Se quiser saber um pouco mais sobre como eu posso ajudá-lo, atuando como um médico para suas finanças, clique aqui!

Beijos, Ka!

 

 

 

 

 

a autora

Karina Valadares

Mãe, esposa, profissional de finanças e empreendedora. Dedico minha vida à consultorias financeiras pessoais, assessoria de investimentos e organização de rotina.

saiba mais

Outras Postagens