Blog

20 dez
2017

Tesouro Direto

Nesse texto vou te contar tudo sobre o tesouro direto e também o passo a passo de como investir

As pessoas de modo geral estão expostas a comentários de especialistas a cerca dos benefícios de se investir  nos títulos do Tesouro Direto.  Acredito que por isso tenho recebido muitos questionamentos sobre o assunto. Então resolvi  escrever esse texto para contar um pouco sobre o que é o tesouro direto, quais títulos disponíveis para compra, como fazer essa compra e que tipo de risco envolve esse tipo de investimento. Prometo não me alongar e escrever de uma maneira direta e clara para que seja útil.

 

  • O que é tesouro Direto?

Tesouro Direto é o nome do programa, criado em 2002, para negociar  os títulos públicos emitidos pelo governo .  O objetivo da criação desse canal foi reduzir o custo das aplicações e torná-las mais acessíveis ao pequeno investidor. O valor mínimo de negociação desse tipo de título são R$30,00.

  • Para que são emitidos Titulos públicos?

Títulos públicos são papéis emitidos pelo Tesouro Nacional, que representam uma forma de financiar a dívida pública e permitem que os investidores “emprestem” dinheiro para o governo, recebendo em troca uma determinada rentabilidade.

  • Quais são os papéis disponíveis para investimento?

 NTN-B Principal: Nota do tesouro nacional série B

Remuneração: pós fixado indexado ao IPCA (índice de inflação).  Remuneração definida por IPCA+taxa de juros .

Quando são pagos os juros: no vencimento.

Quando é pago o valor investido: no vencimento (corrigido pela inflação)

Tributação: Tabela Regressiva * (no final desse texto).

A quem se destina: investidores preocupados em manter seu poder de compra, garantindo um ganho acima do índice de inflação.

 

NTN-B  Nota do tesouro nacional série B

Remuneração: pós fixado indexado ao IPCA (índice de inflação).  Remuneração definida por IPCA+taxa de juros .

Quando são pagos os juros: semestralmente.

Quando é pago o valor investido: no vencimento (corrigido pela inflação)

Tributação: Tabela Regressiva * (no final desse texto).

A quem se destina: investidores preocupados em manter seu poder de compra, garantindo um ganho acima do índice de inflação, e que queiram viver de renda Eles terão recebimentos a cada seis meses referente a parcela de juros.

 

NTN-F– Nota do tesouro Nacional Serie F

Remuneração: pré fixada determinada no ato da emissão do título

Quando são pagos os juros: semestralmente.

Quando é pago o valor investido: no vencimento.

Tributação: Tabela Regressiva * (no final desse texto).

A quem se destina:  investidor que acredita na queda da taxa de juros e gostaria de ter uma receita semestral.

 

LFT: Letra Financeira do Tesouro.

Remuneração: Sua remuneração é pós fixada atrelada a variação da Selic ( taxa básica de juros).

Quando são pagos os juros: no vencimento.

Quando é pago o valor investido: no vencimento.

Tributação: Tabela Regressiva * (no final desse texto).

A quem se destina:  investidores que querem ter bastante liquidez, que não se sentem confortáveis com oscilações .

 

 

LTN: Letra Tesouro Nacional. Sua remuneração é pré fixada.

Remuneração: Sua remuneração é pré fixada

Quando são pagos os juros: no vencimento.

Quando é pago o valor investido: no vencimento.

Tributação: Tabela Regressiva * (no final desse texto).

A quem se destina:  investidores que estão  acumulando recursos, e aposta na queda da SELIC.

 

  • Como posso investir nesses títulos?

 1-Encontre uma corretora ou Banco que esteja autorizado a operar Tesouro Direto e faça seu cadastro.

Para saber qual instituição escolher assim como seus custos de operação. Acesse o site abaixo:

http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-ranking-dos-agentes-de-custodia

Sobre custos, deve-se considerar:

Taxa de negociação (% pago no ato da compra do título)

Taxa de custódia (% pagos semestralmente)

Taxa de corretagem (administração do banco/corretora): %

 

2-Após feito cadastro você receberá seus dados de acesso ao site do Tesouro Direto. Nele você poderá efetuar compra, venda e consultar seu extrato de investimentos.

Se a instituição escolhida for um agente integrado, você poderá  realizar pelo próprio site da instituição.

3- Observe quais os títulos estão disponíveis para compra e escolha o que melhor se encaixa no seu perfil de risco e horizonte de tempo. Isso porque eles podem ser de curto, médio e longo prazo.

A quantidade mínima para compra é 1% do valor do título. Não esquecendo que esse valor não pode ser inferior ao valor mínimo de 30,00.

4- Após receber a confirmação de compra você deverá verificar junto a instituição financeira o prazo máximo para pagamento e providencie o recurso para pagamento da compra.

  • Quais são os custos?

Taxa de negociação (% pago no ato da compra do título)

Taxa de custódia (% pagos semestralmente)

Taxa de corretagem (administração do banco/corretora): %

Importante: algumas corretoras isentam tais taxas.

 

Espero não ter esquecido nenhum detalhe e também que eu tenha atingido meu objetivo de descomplicar e facilitar o entendimento sobre o assunto.

Mais uma vez gosto de ressaltar que não acredito em verdades absolutas. Acredito que para cada tipo de investidor tem um produto que se adéqua melhor. Meu conselho é :saiba bem no que está investindo, procure se informar sobre as características, riscos e custos de cada produto. Conheça seu perfil de risco e saiba qual objetivo você tem para cada investimento. Com certeza o ajudará na melhor escolha.

Se você se sente inseguro para tomar esse tipo de decisão sozinho, conte com um consultor com experiência para orientá-lo.

Espero que o texto tenha ajudado, se ainda permaneceu alguma dúvida, me escreve!

Beijos e até a próxima! 😉

 

a autora

Karina Valadares

Mãe, esposa, profissional de finanças e empreendedora. Dedico minha vida à consultorias financeiras pessoais, assessoria de investimentos e organização de rotina.

saiba mais