21 jan
2020

Uma bicicleta e mil possibilidades

O que aprender a andar de bicicleta, mais velha, me ensinou sobre planejamento financeiro

Eu morava num bairro periférico durante a minha infância. Nós não tínhamos carro. Meu bairro não era atendido por transporte público. Minha rotina era ir pra escola, brincar na rua, fazer pesquisas na biblioteca e ir pras aulas de esportes no clube. Eu sonhava em ter uma bicicleta para que eu pudesse fazer todas essas coisas com agilidade e alegria que só um ventinho no rosto do andar de bicicleta pode propiciar!

Demorou, mas aconteceu e aos meus 11 anos eu ganhei minha Caloi Ceci rosa choque com cestinha! Maravilha!!! Mas…. eu não sabia andar e já com essa idade as bicicletas não vinham com rodinhas. Eu a empurrava até a casa da minha avó, mais ou menos 2 km de distância da minha casa para que a funcionária da minha tia me ajudasse a aprender. Pode parecer loucura, mas eu tinha certeza que todo o esforço e persistência valeria a pena! Aprendi e então ganhei asas.

Valeu todo o esforço e todos joelhos ralados. Finalmente eu estava livre para fazer do caminho sempre uma aventura.

Esses dias, numa conversa após o jantar, eu buscava entender o porque minha filha é totalmente desinteressada em aprender e curtir a bicicleta que ganhou aos 3 anos e meio. E quando revivi os momentos da minha infância sobre a minha bicicleta enxerguei com clareza.

Pra ela a bicicleta não tem funcionalidade. É mais um “evento” descer no play para andar de bicicleta ou ir para uma praça/parque andar de bicicleta. Ela não pode se aventurar pela cidade e descobrir novos caminhos. É muito mais um desejo nosso dela aprender, evoluir e tirar suas rodinhas do que uma expectativa dela de ganhar asas.

É assim com planejamento financeiro. Quando acreditamos que um planejamento é apenas ter um sistema de organização dos números é como a relação da minha filha com a sua bicicletinha!

Não traz liberdade, não serve para tomar decisões, talvez nem mostre o quanto estamos próximos de realizar nossos sonhos. Só dá trabalho preencher todos aqueles dados na planilha, aplicativo ou caderninho.

Planejamento que dura é aquele que tem funcionalidade. Que dá asas! Que te traz a sensação de liberdade com segurança. É como quando eu aprendi a dominar minha ceci e ganhar a cidade com ventinho gostoso no rosto.

Você já tentou algum tipo de planejamento ou sistema de organização das suas finanças pessoais e não funcionou? Sentiu que estava numa bicicleta de rodinhas presa num play andando em círculos?

Quero te ajudar a sentar com segurança na bicicleta sem rodinhas e se sentir apto a buscar um caminho que te permita encontrar novas paisagens e uma aventura gostosa pelo caminho. Então separei 6 dicas que te ajudarão a construir um planejamento que faça sentido e te auxilie a tomar melhores decisões!

  1. Comece seu planejamento elencando quais seus principais objetivos para os próximos 2, 5 e 10 anos.
  2. Estabeleça o valor financeiro necessário para atingir cada objetivo.
  3. Faça um diagnóstico de como está sua realidade financeira hoje. Quais são suas receitas liquidas, suas despesas fixas e variáveis. Qual o resultado mensal desse fluxo de caixa (receitas líquidas menos despesas)
  4. Pergunte-se: é possível incluir um valor mensal destinado a investimentos no seu atual fluxo? Se sim, programe imediatamente. Se não, revise todas as despesas que podem ser reduzidas e estabeleça uma meta de redução mensal.
  5. Acompanhe a cada mês a evolução das suas metas. Sejam elas de redução de despesas ou de investimentos.
  6. Organize essas informações, dentro da lógica de que o objetivo é ter recursos para realizar todos seus objetivos e sonhos. Isso trará sentido, funcionalidade e liberdade para tomada de decisões ao longo do tempo!

 

E, lembre-se de que durante o aprendizado podem acontecer quedas e com elas machucados, mas faz parte do processo. E que, sempre será uma opção levantar-se e continuar o caminho se tiver certeza do que deseja alcançar!!!

Fique de olho por aqui pois sempre trarei dicas práticas sobre Planejamento Financeiro.

Beijos e até a próxima

Ka

 

a autora

Karina Valadares

Mãe, esposa, profissional de finanças e empreendedora. Dedico minha vida à consultorias financeiras pessoais, assessoria de investimentos e organização de rotina.

saiba mais

Outras Postagens